coloque aqui seu e-mail para seguir este blog

sábado, 24 de março de 2012



KING CURTIS

Curtis Ousley (7 de fevereiro de 1934 – 13 de agosto de 1971) conhecido artisticamente como King Curtis, foi um virtuoso saxofonista americano que interpretava, sempre com muito talento, diversos tipos de música, como rhythm and blues, rock’n’roll, soul, funk e soul jazz. Também foi band leader e produtor musical.

Tocava indistintamente sax tenor, contralto e soprano. Ficou conhecido por seus “riffs” e solos. Sua interpretação de “Yakety Yak”, sucesso da banda The Coasters, inspirou outros músicos, como Boots Randolph e foi base para sua composição “Stew Menphis Soul”.

CARREIRA

King Curtis começou a tocar saxofone com a idade de 12 anos, em Fort Worth (Texas). Interessou-se por jazz, rhythm and blues e música popular. Excelente aluno de música, recusou bolsas de estudo para participar da banda de Lionel Hampton. Durante esse tempo, ele compôs e arranjou músicas e aprendeu a tocar guitarra. Em 1952, Curtis mudou-se para Nova York e tornou-se músico de estúdio, trabalhando em gravadoras como Prestige, Enjoy, Capitol e Atco. Nesse periodo, gravou com Nat Adderley, Wynton Kelly, Buddy Holly e Andy Williams.

Estilisticamente, Curtis teve a inspiração de Lester Young e Gene Ammons. Conhecido por seu estilo sincopado e percutido, ele foi, ao mesmo tempo, versátil e poderoso. Reuniu, em gravações, músicos como Richard Tee, Dupree Cornell, Jemmont Jerry e Bernard Purdie.

King Curtis gostava muito de jazz, mas decidiu ser músico de rock. Da década de 50 até meados de 60, trabalhou como músico de estúdio em seus próprios discos e participando de bandas, como The Coasters. Buddly Holly contratou-o para gravar “Reminiscing”. Nessa época, ele gravou “Soul Twist” e “Soul Serenade”.


Em 1965, foi contratado para a Atlantic Records, gravando seus singles de maior sucesso, como Memphis Soul Stew e “Ode to Billie Joe”. Ele tocou com a banda King Pins, que acompanhava Aretha Franklin. A banda King Pins abriu o show dos Beatles, no Shea Stadium, no bairro de Queens, em Nova York em 1965.

Nesse período, também gravou para Groove Records, produzindo discos, muitas vezes trabalhando com Jerry Wexler.

Em 1970, ele gravou, com Aretha Franklin e os King Pins, “Aretha Live at Fillmore West” e “Live at Fillmore West” com a música “Memphis Sttew Alma” e versões de Isaac Hayes, Led Zeppelin e Steve Wonder. Em sua banda tocaram Billie Preston, ao órgão Hammond, Jerry Jemmot ao baixo, Cornell Dupree na guitarra, Pancho Morales na percussão, Bernard Purdie “Pretty” na bateria e mais os Memphis Horns. A música “Whiter Shade of Pale”, da banda Procol Harum, deste disco, foi usada como trilha sonora do filme Cult britânico “Withenail and I”

Em julho de 1971, Curtis gravou solos de saxofone em “Is so hard” e “I don’t wanna be a soldier, mama, I don’t wanna die, no disco “Imagine”, de John Lennon. Junto com os Rimshots, também gravou “Soul Train”, música tema do  aclamado programa de televisão do mesmo nome.

MORTE

Por volta da meia noite do dia 13 de agosto de 1971, Curtis estava carregando um aparelho de ar condicionado para seu apartamento, quando deparou com dois drogados na frente do prédio. Solicitou que eles se afastassem. Isso gerou uma discussão e um dos indivíduos, Juan Montañes, esfaqueou Curtis no peito. Curtis foi hospitalizado, mas não resistiu aos ferimentos. Seu assassino foi preso horas depois.

No dia do funeral de King Curtis, a Atlantic Records  fechou seus escritórios. O pastor Jesse Jackson fez a oração de despedida, com um coral entoando a música “Soul  Serenade”. Aretha Franklin cantou “Never Grow Old” e Stevie Wonder cantou “Abraham, Martin,  John, King Curtis e agora?”

Curtis foi enterrado em Farmingdale, Nova York, o mesmo cemitério que onde estão os grandes do jazz, Count Basie e John Coltrane.

LÁUREA

Curtis foi agraciado com o “Rock and Roll Hall of Fame” em 6 de março de 2000.

 

Fonte: Wikipédia (tradução livre)

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário