coloque aqui seu e-mail para seguir este blog

quarta-feira, 17 de outubro de 2012



blogue do zeca



ALVIN TOFFLER, O VISIONÁRIO QUE ACERTOU

            Estamos acostumados com a ver as previsões de futurólogos famosos fracassarem e muitas vezes tornarem-se risíveis. Lembram-se de Hermann Kahn, o gordo que queria inundar a Amazônia, tornando-a um grande lago?

            Li agora uma matéria sobre as impressoras em 3D, que já são uma realidade. É uma invenção incrível. Essas máquinas utilizam materiais construtivos como se fosse tinta e criam produtos, como antes se faziam folhas impressas. Só para ilustrar, quando se fabrica um calçado da maneira tradicional, a sola, a parte superior, a palmilha, os cadarços, tudo é feito separadamente e juntado posteriormente. Na impressão em 3D é tudo feito ao mesmo tempo, em camadas, como a impressão em papel.

            Isso, naturalmente necessita de um projeto e de um softer adequado. Esses elementos já existem e estão sendo cada vez mais utilizados e, graças à internet, irão cada vez mais, popularizar-se. A previsão é que com a massificação das impressoras 3D, a produção de bens de consumo chegue ao usuário final, que substituirá, em casa, todo o processo industrial.

            Tudo isso me lembrou de um livro extraordinário, A Terceira Onda, de Alvin e Heidi Toffler, de 1980.

            Nesse livro, os autores preveem que, com a massificação do conhecimento e máquinas adequadas, os produtos de utilização de pessoas e famílias serão produzidos por elas mesmas, revivendo, agora de maneira tecnológica, a produção artesanal (primeira onda), que antecedeu à industrialização (segunda onda).

            Ele dá, como exemplo, o vestuário que será produzido por ploters ligados a um computador. No computador ficam armazenados desenhos de vestuário, que poderão ser adquiridos, via internet, ou gerados pelos próprios usuários. Isso será o fim da moda massificada, com todas as evidentes mudanças que aí advirão. Agora, não só vestuários poderão ser produzidos dessa forma.

            Esse retorno ao artesanato, mais a  produção autóctone de energia elétrica, produzida por células solares, tratamento de água e esgoto de maneira individualizada, permitirão a autossuficiência de pessoas ou grupo de pessoas. Essa revolução levaria ao fim das cidades, mudando radicalmente a sociedade e a política tal como a conhecemos.  
  
            Pois com a chegada ao mercado da impressora em 3D e de outras maravilhas tecnológicas, podem ser confirmadas as previsões dos Toffler.

            Assim, antecipa-se nova sociedade, mais democrática e livre, bem ao contrário do que previram outros autores, também futurólogos, de sociedades subjugadas por governos totalitários, fruto do desenvolvimento da ciência e da tecnologia.

            

Nenhum comentário:

Postar um comentário