coloque aqui seu e-mail para seguir este blog

sábado, 27 de outubro de 2012



versões



Caro Amigo


         Recebi teu e-mail, apontando para um fato grave. A possibilidade dos condenados do mensalão fugirem para a Venezuela do Hugo Chaves, escapando, assim, das dores do presídio e passando a curtir, ao contrário, as delícias do país caribenho.

         Tenho todo o respeito por quem veicula essas notícias pela internet. Entretanto, esse furo jornalístico, para ser veraz, deveria, como notícia que se preze, apresentar fontes, o que não aconteceu.    
        
         Pensando melhor, informações como essas, por demais simplistas, acabam mesmo é errando o alvo e provocando dano colateral, abatendo o bom senso e a inteligência.

         Vamos meditar sobre o assunto. A falta de comprovação do texto faz pensar o seguinte: isso é possível, mas não é provável. O raciocínio que mistura possibilidade com probabilidade é raciocínio paranoico.

         É próprio de distúrbio mental achar que uma coisa que pode acontecer vai acontecer. Esse pensamento é o mesmo de quem vê complôs em tudo. Ele funciona assim: vamos abater o inimigo porque ele pode nos abater. É o raciocínio de quem é louco por uma boa briga. Lembra do texto lá na Praça do Alegrete, “Se queres a paz, prepara-te para a guerra”?

         As coisas, na vida real, são mais complexas. A vida não é monocromática, tudo preto ou branco. Sei que pensar é mais penoso, mas levando nossa existência como se fosse um eterno GRENAL, não chegaremos à parte alguma.

         Vamos analisar o caso em si.Temos instituições, bem ou mal, temos. Vivemos em uma democracia, embora isso desgoste muita gente.

         O procurador geral da república já solicitou à justiça a apreensão dos passaportes dos condenados.

         Vamos imaginar que o improvável aconteça, em um descuido da polícia federal, os condenados corram para a embaixada da Venezuela e lá peçam e recebam asilo.

         Pensa bem, essa possibilidade não configuraria um castigo pior do que a prisão? Na prisão, eles sempre podem contar como a aura de heróis para seus (ignorantes) seguidores. No exílio, eles seriam meros fujões. Nesse caso, a fuga destruiria toda a biografia (real ou forjada) de homens que (conforme eles) sacrificaram sua vida pessoal na luta contra a ditadura militar. Esse fato não seria fatal para a vaidade dessas pessoas? Lembra que quando João Paulo foi condenado, Dirceu que ainda estava sendo julgado, disse que estava preocupado porque João Paulo não era um joão qualquer.

         Então, perder a cidadania brasileira pode ser um castigo muito grande, talvez pior que ficar alguns anos na prisão.

         E essa gente tem vaidade, sim, ao contrário do que pensam os simplórios que acham eles ratos, meros bandidos, do "outro lado".


Abração
José

Estou curioso, indaga para quem te mandou o que é Lista de Resistência. Será que não é um grupo geriátrico de viúvas da ditadura militar?



Um comentário:

  1. Lendo este texto realmente é impossível não fazer algumas reflexões. Uma delas por exemplo é: PORQUE esta marcação de toda uma imprensa e um povinho de cabeça miuda insistindo em chutar um cachorro morto que é o mensalão? Mas não se perguntam pra QUEM foi esta grana.?? Não ficou com o PT.Foi pra pagar os mais de 300 picaretas como bem disse Lula. Porque também não se perguntam sobre o caso Sivan (Mais de um bilhão de reais)Pasta Rosa, Banestado,só alguns em que o autor do texto não toca. Este povo ignorante,segundo o autor ,tem seus heróis. E são bandidos. Mas sabem que a Venezuela e Brasil tem um acordo de extradição. Bandidos mas não burros. Fizeram o que tem que ser feito. Esta canalha da política de direita quer grana. Dêem. Eles vão, votam e o Brasil vai pra frente.É rápido ! É barato! Pra quê tanto preconceito?

    ResponderExcluir